26/11/2017

Floresta de Pedra, Negrais

Campo de Lapiás, a 'Floresta de Pedra', perto de Negrais, na Pedra Furada #hiking #Portugal #stoneforest - Spherical Image - RICOH THETA

02/09/2017

CASCAIS - UM PASSEIO CULTURAL E DE TURISMO DE NATUREZA

NOVA PROPOSTA Portugal Wild Trail: CASCAIS - UM PASSEIO CULTURAL E DE TURISMO DE NATUREZA. A COSTA E A RIBEIRA DAS VINHAS, E OS ESCRITORES QUE MARCARAM CASCAIS

Início: Parque de Estacionamento do Mercado
Extensão: 6 kms aprox. Duração: cerca de 3h30 (início 09h00 final 12h30) Dificuldade: Fácil / Familiar


INTERESSE: Natureza: linha de costa, as praias, a Ribeira das Vinhas e as suas quintas. História, Arquitectura e presença cultural. Um percurso urbano - e não só! - pela zona de Cascais.
Há pouco mais de um século, devido aos maus acessos, costumava dizer-se que a "Cascais, uma vez e nunca mais". 
Porém a vila de Cascais é, desde finais do século XIX, um dos destinos turísticos portugueses mais apreciados por nacionais e estrangeiros, uma vez que o visitante pode desfrutar de um clima ameno, das praias, das paisagens, da oferta hoteleira e gastronómica variada. A 27 de Junho de 1964 o Concelho de Cascais foi feito membro-honorário da Ordem Militar de Cristo.


O PASSEIO
Efectuamos uma incursão pela zona histórica de Cascais, pelas ruelas da vila velha, as suas igrejas, jardins até à marginal. 
Na orla ribeirinha veremos então as praias da Rainha e a dos Pescadores (Ribeira). Não esquecemos a estátua do Rei D. Carlos, a Cidadela e a Marina, conforme vamos progredindo até ao Museu Castro Guimarães e à praia e farol de Santa Marta.

Adiante, a zona hoteleira mas onde se situava há décadas a habitação do exilado Rei Humberto II de Itália. E acabamos por chegar à fantástica 'Boca do Inferno'. Altura para ouvir as 'estórias' do local e o episódio referente a Fernando Pessoa e ao mago inglês Aleister Crowley.

Por todo este percurso tropeçamos em edifícios com história e de arquitectura marcante, com ênfase também para a constelação de escritores e gente da cultura que aqui viveu. 

Não deixaremos ainda de falar na Casa de S. Bernardo, perto de Santa Marta, onde se reunia o grupo dos 'Vencidos da Vida', intelectuais e escritores dos finais do século XIX.

Cascais é assim local onde apontaremos Almeida Garrett, Herberto Helder, Mircea Eliade, Maria Amália Vaz de Carvalho, Fernando Pessoa, Ramalho Ortigão, José da Cunha Brochado, Ruben A.Leitão, Branquinho
da Fonseca, Eça de Queirós, João Gaspar Simões, Pedro Falcão, entre tantos outros...

E deixamos agora para trás a Cascais cosmopolita e turística, a linha de costa e zona balnear, mergulhemos numa outra Cascais que aqui sempre existiu: Cascais rural, agrícola, Cascais das ribeiras - como a Ribeira do Mocho ou a Ribeira das Vinhas.

Passamos por uma velha mansão, hoje desabitada, que toma o nome de Castelo das Rosas, digno de albergar o Conde Drácula! Sim, um aspecto misterioso emana desta construção sobranceira à Ribeira das Vinhas.
Alcançamos por fim a zona das quintas e ao lado vai correndo sempre, acompanhando os nossos passos, esta mesma ribeira das Vinhas, que vem desde o topo do Monge, na serra de Sintra, alimentada ainda pelas águas da Penha Longa.

E quase sem darmos conta, eis-nos de novo junto ao ponto de início, o parque de estacionamento no mercado de Cascais.


Um percurso bem aprazível e de certa forma também didáctico para preencher bem uma manhã!